Alquimia: a arte de falar com o coração


Alquimia: a arte de falar com o coração



Alquimia, dizem os antigos mestres, é a arte de produzir "aumento das vibrações". Um fenômeno de natureza vibracional conduzido pelos atributos da mente e do qual decorrem transmutações que podem afetar a estrutura, as condições e a manifestação de realidades tanto no microcosmo, a nível celular, molecular e quântico, como no Macrocosmos, a nível cósmico, universal e multidimensional.

Gregg Braden*, em seu livro "A Matriz Divina" diz que estamos cercados de um "mundo maleável" e à nossa "própria lavra". Estamos cercados de uma essência cósmica, vibracional, sobre a qual podemos "lavrar" nossas criações, imposições, medos e desejos. Trata-se, segundo ele, de uma "antiga rede de energia", uma "matriz divina" que guarda todas as realidades e eventos possíveis. No entanto, essa "matriz divina" com a qual a ciência atualmente concorda é o mesmo Akasha dos magos e iniciados bhramanis, a mesma essência "máter" dos alquimistas e é, por fim,  a mesma "tábua" onde Moisés lavrou as leis conforme as recebeu do Criador. 

Lavrar, laborar, criar, manipular, modular... Para a alquimia não importa o verbo e sim a ação. É possível agir sobre essa essência cósmica ou "matriz divina" e assim o fazemos todos os dias, na maioria das vezes de forma inconscientes. Ao resultado inconsciente chamamos azar, sorte, castigo ou milagre. Culpamos ou agradecemos forças exteriores sem nos dar conta que é de dentro de nós que parte o “ímpeto” gerador de todas circunstâncias com as quais nos envolvemos.


Somente a maturidade espiritual de quando atingirmos a "estatura do Cristo" pode nos levar a recuperar o padrão original que nos torna unos à criação, sermos “filhos” do “pai”, o “Eu Sou o que Eu Sou”. Jesus Cristo foi o maior de todos os alquimistas. Enfrentou a fúria do mar, comandou  os elementos, transmutou a água em vinho, fez o sopro vital retornar a Lázaro, dominou o mal em seu próprio coração e venceu a cruz ascendendo à eternidade. Com isso indicou-nos um caminho. É na “linguagem do coração” que está a chave de todos os segredos. Ao dominarmos essa linguagem os milagres estarão disponíveis. Cultivaremos a kavanah – intenção - como semente preciosa para um novo mundo. Por intermédio dessa linguagem falaremos com os "anjos", pois este são emissários divinos presentes em cada quantum que compõe o universo e também em cada célula do nosso Ser.

Adohra Akya (Renata B R Barreto) -
Doutora em Educação (UFRJ), Psicoterapeuta Holística, Master Shamballa Multidimensional Healing, Mestre Reiki Usui, Reiki Chama Violeta, Apometria Quântica,  Alquimia das Formas e Cores, cristais e radiônica.

*BRADEN, Gregg - A Matriz Divina - Edt Cultrix, SP, 2007


Comentários

Postagens mais visitadas