Monte Shasta II: Panther Meadows



Panther Meadow  está situado no maior vórtice do Monte Shasta, bem próximo ao topo da montanha. Podemos dizer que está no foco da região em que se localiza o Templo Etérico da Transmutação pela Chama Violeta do Mestre Saint Germain. e, por isso, acredita-se tratar-se de um enorme Portal para dimensões etéricas e também para a cidade subterrânea de Telos. Muitos místicos em peregrinação relatam ter encontrado o Mestre Saint Germain, caminhando pelas trilhas deste prado na companhia de sua enorme Pantera Negra. Por isso, o nome - Panther Meadow - Prado da Pantera.  

A sombra da Pantera

A região, tanto acima como abaixo de Panther Meadow, é formada por mananciais subterrâneos que geram pontos de poder e formam um intenso vórtice energético. Esse espaço, desde muito tempo, tem sido considerado sagrado  pelos índios das tribos Wintu e Karula, originárias dessa região da Califórnia. Eles reverenciavam sua potência e sua medicina realizando cerimônias sagradas em determinados períodos do ano. Praticavam ritos de passagem,  meditação e  recolhimento para o cerimonial da busca da visão que todo aspirante à guerreiro ou xamã precisava vivenciar para descobrir os sinais de seu destino. 


Local marcado para a Roda de Cura e Ritual das Quatro Direções


Existem três trilhas de Peregrinação na região do Panther Meadow. A grande trilha, a trilha média e a trilha curta. É evidente que escolhi a trilha curta por parecer mais fácil e possibilitar percorrê-la em só um dia. Ainda assim tinha um certo grau de dificuldade. O terreno bastante árido e de solo vulcânico torna-se escorregadio e erosivo.  Mesmo no fim da estação do outono, o calor castiga um pouco após algum tempo de caminhada. Trata-se de uma subida, em alguns momentos bastante pesada consistindo numa trilha pedregosa e  com pouca vegetação. Em muitos trechos precisei parar e descansar um pouco. As paradas proporcionam oportunidade de sossegar o ritmo do corpo e deixar-se dominar por toda a energia local. 









Há diversos registros de encontros místicos por esses caminhos. Não só com os Mestres do Retiro, mas também seres angélicos, fadas, elfos e gnomos. Há também testemunhos de encontros com o próprio Pan, o famoso sátiro que governa os espíritos da Natureza. Durante todo o percurso é possível ouvir diferentes sons. Cânticos, vozes, risos, mantras, tambores e o impressionante som dos balls cristalinos emitidos em intervalos regulares. Esses sons vinham da natureza, dos visitantes e de grupos que realizavam seus rituais em diversos pontos de poder. Todo esse conjunto de sons e sensações proporciona oportunidade de ir além dos sentidos e penetrar numa outra realidade. Além da visão momentânea que tive da Pantera Negra, projetada pela sombra de uma rocha, também encontrei um guia bastante amigável. Um pequeno vira-lata aconchegou-se a meu lado e acompanhou-me por todo o caminho até o retorno. Engraçado que ele tinha dono e por várias vezes o dono o chamou. Ele olhava para trás, obedecia, mas logo voltava para meu lado e seguia comigo.



Meu pequeno Guia



Embora tenha sido uma experiência marcada por muitos momentos de elevação espiritual, emoção e arrebatamento, o mais inusitado desta trilha ocorreu agora em março, exatamente no dia 9, alguns meses após ter retornado do Shasta. Durante Meditação, pela manhã, me vi de volta à trilha do Panther Meadow diante a uma rocha que havia chamado minha atenção. Lembro de ter parado para descansar e sentado aos pés de uma árvore quando fui atraída pela rocha que estava um pouco acima e à direita da trilha que eu estava percorrendo. Tirei algumas fotos e fiquei contemplando por um longo tempo. Havia algo diferente ali que não consegui identificar. 



Um instante de repouso aos pés da amiga árvore.


A Rocha



Ainda que me atraísse bastante  e sentisse "algo diferente",  não vi nada que evocasse alguma coisa para além de uma linda paisagem. Foi só durante a meditação, no dia 9 de março, quando me vi de volta àquela cena, que então se descortinou algo realmente maravilhoso. Em corpo mental pude aproximar-me um pouco mais e observar a rocha de nova perspectiva, na qual parte do Monte Shasta aparecia por trás. Percebi então que na rocha abriam-se 3 portais. Não sei se eram entradas para 3 dimensões diferentes ou 3 entradas para a mesma dimensão. Percebi que havia uma luz muito forte e emanação de cores do outro lado e era como se o caminho continuasse adiante, só que numa frequência mais sutil. Ao lado da rocha havia um ser de grande estatura, vestido com um manto lilás. Ele apontava para os Portais como se convidasse a entrar ou fazer uma escolha. Não guardei o registro de ter entrado, pois adormeci por algum tempo. Assim que despertei, ainda com a forte lembrança da curiosa experiência na cabeça, quis imediatamente desenhar o que havia visto, mesmo sem nenhuma habilidade como desenhista.  Assim,  fiz o registro do esboço abaixo, sem grandes expectativas, apenas para manter a memória.




Após essa experiência posso dizer, seguramente,  que o que quer que tenha acontecido durante minha breve passagem em Panther Meadow, seguiu comigo e continua amadurecendo, enviando sinais. Há alguns lugares que marcam a nossa alma e deixam uma memória leve e acolhedora que vem nos socorrer em momentos difíceis. Vou guardar a lembrança do sussurro do vento, dos sons ritualísticos que embalam o ambiente, do aliado que me apareceu em forma de cãozinho, da gigantesca sombra da pantera e das acolhedoras árvores que nos socorrem no caminho, quando tudo parece árido e difícil. Não há outro sentimento além da gratidão.






"Eu Sou" em perfeita conexão com a Consciência Crística. 
"Eu Sou" Amor e Gratidão por todos os seres.
"Eu Sou" Paz Profunda!

Adohra Akya - Renata



Comentários

Postagens mais visitadas